A prostituta

Você, como a maioria, deve ter preconceito com prostitutas, deve achar que não é uma profissão honrada e não é coisa de família. Ah, pode até não se encaixar com a descrição a cima, porém, tem algum tipo de preconceito.

Se você for religioso, é parte obrigatória não respeitar prostitutas. E será louvável que esmague a cabeça de uma com um taco de baisebol.

No entanto, a profissão, se não fosse por dogmas morais deveria ser tão respeitada quando a profissão do médico ou do advogado. Já citei em outros posts nesse blog que temos o péssimo costume de dar valor apenas ao que agrega inteligência ou que depende da inteligência. Porque apenas o médico e o advogado são respeitados? Só porque são formados e ajudam as pessoas? Um médico, como pode salvar, pode matar, um advogado, como pode ajudar, pode atrapalhar se não for o qual você contratou.

A profissão de prostituta é uma profissão como qualquer outra, pode não depender exclusivamente de conhecimento acadêmicos, mas é necessário conhecimento do mundo, o qual é muito mais difícil de ser adquirido e não há faculdades a respeito.

Prostituta é uma profissão reconhecida no Brasil, e regulamentada em outros lugares do mundo?

No Brasil, a regulamentação da profissão de prostituta descreve como tarefas da meretriz como:

Buscam programas sexuais; atendem e acompanham clientes ;participam em ações educativas no campo da sexualidade. As atividades são exercidas seguindo normas e procedimentos que minimizam a vulnerabilidades da profissão.

E faz parte das Competências Profissionais da mulher da vida o seguinte:

1.      Demonstrar capacidade de persuasão

2.      Demonstrar capacidade de comunicação

3.      Demonstrar capacidade de realizar fantasias sexuais

4.      Demonstrar paciência

5.      Planejar o futuro

6.      Demonstrar solidariedade aos colegas de profissão

7.      Demonstrar capacidade de ouvir

8.      Demonstrar capacidade lúdica

9.      Demonstrar sensualidade

10.  Reconhecer o potencial do cliente

11.  Cuidar da higiene pessoal

12.  Manter sigilo profissional

Descrição da prostituição no Ministério do TrabalhoAgora, tratando da realidade da putice mundana, você realmente acha que a vida delas é sofrida? Que elas mereciam uma vida mais digna e etc? Que nada, a vida delas é boa, a atividade profissional é cheia de aventura o local de trabalho é a rua e não paga gasolina durante as “reuniões”

Puta tem a vida boa, melhor que a minha e talvez melhor que a sua, pode faltar o trabalho sem o chefe reclamar, pode ir mais cedo pra casa e chegar mais tarde no trabalho, conhece um monte de pessoas legais e até um possível marido rico, pode xingar o cliente sem um chefe para achar ruim…

Demagogia é falar que é perigoso, pois ninguém tem dó das pessoas que montam torre de alta tensão no meio do mato, ninguém tem dó da polícia que entra na favela armada.
Eu até indico, seja prostituta ou prostituto, você ganhará dinheiro com o corpo, como outros ganham com o cérebro.

- Você sabe qual a diferença entre ganhar dinheiro com o corpo e com o cérebro?
Resposta:  - A inveja.

Use seu cérebro, tenha um chefe reclamando, um cliente pressionando e horário para cumprir e fale mal da prostituta enquanto ela ganha dinheiro com o corpo, não tem chefe e pode xingar o cliente.

Acesse o site do Ministério do Trabalho e pesquisa sobre a profissão de prostituta: http://www.mtecbo.gov.br/cbosite/pages/pesquisas/BuscaPorTitulo.jsf

One Reply to A prostituta

  1. Hugo Braga says:

    Sabia que a profissão Psicologo não é regulamentada pelo Ministério do Trabalho?

Leave a Reply to Hugo Braga